VACINÔMETRO

Atualizado em 30-09-2022 12:03

DOSES APLICADAS

5.953.630

PRIMEIRA DOSE

2.258.513

SEGUNDA DOSE

1.969.104

DOSE ÚNICA

257.931

Percentual da população do MS com esquema vacinal completo.

79.27%

Campanha de vacinação contra a gripe

  • O que é gripe ou Influenza Sazonal?

    A Influenza, também conhecida como gripe, é uma infecção do sistema respiratório cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país.

  • Posso tomar vacina da gripe junto com a de Covid-19?

    Não. A vacina contra a Covid-19 deve ser administrada isoladamente. A recomendação é de que seja respeitado o intervalo de 14 dias entre ela e a vacina da gripe, lembrando que a vacina da Covid-19 deve ser priorizada. 

  • Quando começa a vacinação?

    A Campanha de Vacinação contra Gripe começou no dia 12 de abril e vai até 09 de julho de 2021.

  • Onde posso tomar a vacina contra a gripe?

    Nos postos de vacinação fixos ou moveis, disponibilizados pelos municípios, de acordo com as etapas da campanha e população-alvo da vacinação. Deve-se prestar atenção e acompanhar o período de disponibilidade da vacina junto aos serviços de saúde da sua cidade.

  • Peguei covid19, posso tomar a vacina contra a gripe?

    Nas pessoas com quadro sugestivo de infecção pela covid-19, recomenda-se o adiamento da vacinação contra a influenza até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir a esta vacina as manifestações da doença.

  • Quem deve tomar a vacina? Qual o público-alvo da campanha?

    O público alvo, ou seja, o grupo prioritário da vacinação contra influenza no Sistema Único de Saúde - SUS são crianças de seis meses até menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas, trabalhadores da saúde, pessoas com 60 anos e mais (idoso), professores do ensino básico e superior, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, membros das Forças Armadas, Forças de Segurança e Salvamento,  caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

  • Quem não deve tomar a vacina contra a gripe?

    A vacinação não é indicada para crianças menores de seis meses e para pessoas que tiveram reações alérgicas graves a doses anteriores.  

  • Quem tem alergia a ovo pode tomar a vacina da gripe?

    Sim. Aquelas pessoas que após a ingestão de ovo apresentaram apenas manchas vermelhas na pele, podem tomar a vacina. No entanto, as pessoas que após ingestão de ovo apresentaram quaisquer outros sinais de alergia grave, anafilaxia (angioedema, desconforto respiratório ou vômitos repetidos), a vacina pode ser administrada, desde que em ambiente adequado para tratar manifestações alérgicas graves. Nesta situação, a vacinação deve ser aplicada sob supervisão médica, preferencialmente.

  • Quando quem não faz parte do grupo prioritário irá se vacinar?

    Como em anos anteriores, o Ministério da Saúde após o termino da vacinação dos grupos prioritários, disponibilizará a vacina da gripe, para outros grupos que não fazem parte do público alvo, caso haja doses remanescentes da vacina.

  • Por que devo tomar a vacina contra a gripe?

    A vacina da gripe é importante para reduzir riscos de complicações, mortes e internações decorrentes da doença. E no período de pandemia da Covid-19, a vacina contra a gripe se torna mais uma ferramenta para auxiliar no enfrentamento à pandemia, mesmo não imunizando contra a Covid-19, por reduzir a ocorrência de complicações respiratórias atribuídas à influenza (gripe) na população-alvo, evitando dessa forma o aumento da demanda nos serviços de saúde.

  • Quais são os sintomas da gripe?

    Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves. A doença tem início, em geral, com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse seca. A febre é o sintoma mais importante da gripe e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios, como tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

  • O que causa a gripe?

    A gripe é causada pelo vírus Influenza. Existem 3 tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa, apenas, infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias. Os vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1) e A (H3N2) circulam atualmente em humanos.

  • Como se transmite a gripe?

    A gripe (influenza) pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carregar o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos.

  • Como tratar a gripe?

    Pessoas com gripe devem beber bastante água e descansar. A maioria das pessoas se recuperará dentro de uma semana. Os medicamentos antivirais para a gripe podem reduzir complicações e óbitos. Eles são especialmente importantes para grupos de alto risco. O tratamento com o antiviral deve começar dentro de 48 horas após o início dos sintomas.

  • Como se difere resfriado de gripe?

    O resfriado também é uma doença respiratória frequentemente confundida com a gripe, mas é causado por vírus diferentes dos da gripe. Os vírus mais comuns associados ao resfriado são os rinovírus, os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (VSR), que geralmente acometem as crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com os da gripe, são mais leves e duram menos tempo, entre dois e quatro dias.

    Os sintomas incluem tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo e dor de garganta leve. A ocorrência de febre é menos comum e, quando presente, é em temperaturas baixas. As medidas preventivas utilizadas para evitar a gripe, como a etiqueta respiratória, também devem ser adotadas para prevenir os resfriados. Outra doença que também tem sintomas parecidos, e que pode ser confundida com a gripe, é a rinite alérgica. Os principais sintomas são espirros, coriza, congestão nasal e irritação na garganta. A rinite alérgica não é uma doença transmissível e sim crônica, provocada pelo contato com agentes alergênicos (substâncias que causam alergia), como poeira, pelos de animais, poluição, mofo e alguns alimentos.

  • Como se prevenir da gripe?

    Para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de maior chance de infecção, como o vírus Influenza (gripe), orienta-se que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, chamadas de “etiqueta respiratória”, tais como:

    • Lavar e higienizar as mãos frequentemente, principalmente antes de consumir algum alimento;

    • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

    • Cobrir o nariz e a boca quando espirrar ou tossir;

    • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

    • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

    • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

    • Manter os ambientes bem ventilados; e

    • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

    • Realizar a higienização dos brinquedos com água e sabão quando estiverem sujos;

     • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

  • Quais cuidados contra gripe com gestantes, puérperas e recém-nascidos?
    • A vacinação anual contra gripe é a melhor maneira de proteger as crianças, gestantes e puérperas contra a doença, além da adoção de medidas gerais de prevenção e etiqueta respiratória.
  • A vacinação contra gripe durante a gravidez protege a gestante, o feto e até o bebê recém-nascido até os 6 meses?

    Sim. A vacinação contra a gripe durante a gestação protege além da mãe, o recém-nascido nos primeiros meses após o nascimento. Lactentes menores de seis meses estão em maior risco de hospitalização e óbito pela doença, e nenhuma vacina influenza está licenciada para ser utilizada nesta faixa etária. 

  • Quais cuidados a gestante deve ter se estiver com gripe?

    • As gestantes devem buscar o serviço de saúde, caso apresente sintomas de Síndrome Gripal (SG);

    • Durante a internação e trabalho de parto, se a mulher estiver com diagnóstico de influenza, deve-se priorizar o isolamento;

    • Se a mãe estiver doente, deve realizar medidas preventivas e de etiqueta respiratória, como a constante lavagem das mãos, principalmente para evitar transmissão para o recém-nascido

    • A parturiente deve evitar tossir ou espirrar próximo ao bebê. O bebê pode ficar em isolamento com a mãe (evitando-se berçários)

  • Qual a vacina contra gripe ofertada no SUS?

    A vacina influenza trivalente é ofertada no SUS anualmente, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza. Em 2021 será composta por:

    • A/Victoria/2570/2019 (H1N1)pdm09
    • A/Hong Kong/2671/2019 (H3N2)
    •  B/Washington/02/2019 (linhagem B/Victoria)

     É uma vacina produzida pela Fundação Butantan e é recomendada anualmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

  • Por que a campanha de vacinação contra gripe é realizada anualmente?

    A campanha de vacinação contra a gripe é realizada anualmente com o objetivo de reduzir as complicações e as internações decorrentes das infecções causadas pelos vírus, nos grupos prioritários para vacinação. Também por considerar que a circulação do vírus influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente no outono e no inverno, quando as temperaturas caem, principalmente no Sul e Sudeste do Brasil. A vacina é capaz de promover imunidade durante o período de maior circulação dos vírus influenza reduzindo o agravamento da doença. No geral, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação e, em média, confere proteção de 6 a 12 meses, sendo que o pico de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas da vacinação. Por esse motivo, a vacinação é anual e busca proteger a população alvo da campanha contra as cepas que mais circularam no hemisfério norte, no ano anterior.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Utilizamos cookies para permitir uma melhor experiência em nosso website e para nos ajudar a compreender quais informações são mais úteis e relevantes para você. Por isso é importante que você concorde com a política de uso de cookies deste site.